Banco Santander indenizará clientes por utilizar limite de cheque especial sem autorização | TVFORENSE.com Televisão para Dispositivos Móveis

Valor foi transferido de conta conjunta para conta individual.           A 5ª Vara Cível do Foro Regional do Jabaquara, por decisão do juiz Gustavo Santini Teodoro, condenou banco privado a ressarcimento de valores e à indenização por danos morais no v...

banco, indenização, dano, cheques, cartões, contas, justiça

Banco Santander indenizará clientes por utilizar limite de cheque especial sem autorização

Publicado por: admin
20/08/2018 11:00:51
Courtesy Pixabay
Courtesy Pixabay

Valor foi transferido de conta conjunta para conta individual.

 

        A 5ª Vara Cível do Foro Regional do Jabaquara, por decisão do juiz Gustavo Santini Teodoro, condenou banco privado a ressarcimento de valores e à indenização por danos morais no valor de R$ 10 mil a dois clientes pelo uso, sem autorização, do limite do cheque especial que possuíam em conta conjunta, com o objetivo de transferir dinheiro para uma conta individual, à qual era vinculado um empréstimo contratado somente por um dos titulares da conta conjunta. “Nada possui juros mais altos do que cheque especial, exceto, dependendo da instituição financeira, cartão de crédito. Assim, ficou claro que o banco agiu de forma a se beneficiar desses juros”, resumiu o magistrado.

        A transferência do valor se fez para uma conta da qual apenas um dos coautores da ação é titular, com o objetivo de abater empréstimo que estava sendo pago em parcelas mensais. Com isso, os clientes ficaram inadimplentes no limite de cheque especial, com juros de 14,99% ao mês.

        O juiz Gustavo Santini condenou o banco a devolver o valor indevidamente transferido, bem como a estornar toda e qualquer quantia debitada, por força da operação indevida, a título de correção, juros, taxas, tarifas ou quaisquer outros lançamentos a débito. A indenização por danos morais também se deu, já que “a conduta do réu, por meio de seu preposto (gerente de relacionamento) excedeu em muito algo que possa ser considerado mero aborrecimento”, continuou.

 

        Processo nº 1018707-97.2017.8.26.0003

 

        Comunicação Social TJSP 

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

A Carne é Fraca