Fazendeira é condenada a reflorestar área degradada | TVFORENSE.com Televisão para Dispositivos Móveis

A juíza Mariana Tonoli Angeli, da 1ª Vara de Jardinópolis, julgou procedente ação civil pública movida contra proprietária de fazenda acusada de degradar área de preservação permanente.

tjsp, telefonica, dano, telefonia, conta, dano, ofensa, ticket, ingressos, cartilha, abuso

Fazendeira é condenada a reflorestar área degradada

Publicado por: admin
26/04/2018 07:24:50
Divulgação
Divulgação

Ré deverá cessar atividade prejudicial sob pena de multa.

 

A juíza Mariana Tonoli Angeli, da 1ª Vara de Jardinópolis, julgou procedente ação civil pública movida contra proprietária de fazenda acusada de degradar área de preservação permanente. A ré foi condenada às obrigações de cessar a atividade prejudicial ao meio ambiente, sob pena de multa no valor de R$ 1 mil, a incidir a cada ato de descumprimento; providenciar o reflorestamento da área que não está ocupada por vegetação nativa; e ao pagamento de indenização correspondente aos eventuais danos que se mostrarem irrecuperáveis.

 

De acordo com os autos, a ré mantinha um rancho em margem de rio como local de lazer, descumprindo a legislação vigente de proteção a áreas ambientais. Para a magistrada, o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado envolve não somente os direitos da atual geração, mas também o das futuras, “logo, alguns direitos individuais sofrem limitações em prol da coletividade até como forma de permitir-se a viabilidade da vida humana na Terra”, afirmou. “Assim, sendo incontroverso nos autos que a ré detém a posse de Área de Preservação Permanente na qual foi erigida edificação, de rigor sua condenação.”

 

A juíza determinou também que o reflorestamento seja efetuado mediante projeto a ser apresentado ao órgão ambiental competente, que incluirá a demolição das edificações existentes, remoção dos entulhos, e descompactação do solo, a ser entregue no prazo de 120 dias, iniciando a restauração no prazo de 10 dias, contados da aprovação do projeto, sob pena de multa diária de R$ 500. Cabe recurso da decisão.

 

Processo nº 0002783-84.2013.8.26.0300

 

Fonte: Comunicação Social TJSP

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

A Carne é Fraca

Vídeos relacionados