Setor de telecomunicações foi o que mais recebeu reclamações em agosto | TVFORENSE.com Para Dispositivos Móveis

Em todo o país, reclamações de consumidores do setor representam 38%, segundo site Consumidor.gov   O setor de telecomunicações foi o que mais recebeu reclamações em todo o Brasil, no mês de agosto. É o que dizem os números divulgados pela plataforma C...

noticias, artigos, notas, releases, pautas, tv, acontecimentos, fatos, reportagens

Setor de telecomunicações foi o que mais recebeu reclamações em agosto

Publicado por: admin
16/09/2019 09:08:47
Courtesy Pixabay
Courtesy Pixabay

Em todo o país, reclamações de consumidores do setor representam 38%, segundo site Consumidor.gov

 

O setor de telecomunicações foi o que mais recebeu reclamações em todo o Brasil, no mês de agosto. É o que dizem os números divulgados pela plataforma Consumidor.gov, que é monitorada pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon).

 

Por Israel Medeiros

Cerca de 38% de todas as reclamações do site são de clientes de empresas do setor de telefonia, internet e TV por assinatura. Em seguida aparecem os bancos, financeiras e administradoras de cartão, com 25%, e comércio eletrônico, com 7%.

 

Os dados dizem respeito apenas às queixas feitas na plataforma e não incluem reclamações no Procon. Entre os principais problemas apontados estão a cobrança indevida, oferta ou venda enganosa - onde o serviço não foi fornecido - mal funcionamento e alteração de plano sem aviso prévio.

 

A empresária Vanessa Miranda, de 39 anos, conta que enfrentou alguns desses problemas. De acordo com ela, a velocidade de internet contratada não era entregue e a empresa não resolveu a questão. Vanessa disse também que enfrentou problemas ao tentar realizar um procedimento de mudança de titularidade.

 

Ainda segundo a empresária, além de não ter a solicitação atendida, ela teve a TV por assinatura cancelada. “Eles me explicaram que para ser feita essa transferência [de titularidade], eles precisariam cancelar minha TV. Depois, eu deveria entrar em contato para solicitá-la novamente”.

 

Quando Vanessa percebeu que a TV não estava mais funcionando, pensou que o processo de mudança de titularidade havia sido feito. Mas a operadora não realizou o procedimento.

 

A situação piorou quando um técnico foi até a casa dela no momento em que apenas seu filho menor de idade estava no local: “Um técnico veio aqui, entrou, tirou todos os meus aparelhos sem a assinatura de uma pessoa maior de idade”, conta Vanessa.

 

O advogado Igor Britto, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), explica que a quantidade de reclamações no setor de telecomunicações é reflexo do elevado número de clientes dessas companhias. “São vários fatores que fazem essas empresas serem tradicionalmente as mais reclamadas. O primeiro deles, com certeza, é a quantidade de consumidores que cada uma dessas empresas possui”, destaca.

 

Consumidor.gov

O portal Consumidor.gov é um serviço público lançado em junho de 2014 que permite a interlocução direta entre consumidores e empresas, para solução de conflitos de consumo pela internet. O monitoramento é feito pelo Ministério da Justiça através da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), Procons, Defensorias e Ministérios Públicos.

 

Atualmente, a plataforma possui 1,5 milhão de usuários cadastrados, 568 empresas participantes e 2 milhões de reclamações finalizadas.

 

O setor de telecomunicações foi o que mais recebeu reclamações em todo o Brasil, no mês de agosto. É o que dizem os números divulgados pela plataforma Consumidor.gov, que é monitorada pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon).

 

Cerca de 38% de todas as reclamações do site são de clientes de empresas do setor de telefonia, internet e TV por assinatura. Em seguida aparecem os bancos, financeiras e administradoras de cartão, com 25%, e comércio eletrônico, com 7%.

 

Os dados dizem respeito apenas às queixas feitas na plataforma e não incluem reclamações no Procon. Entre os principais problemas apontados estão a cobrança indevida, oferta ou venda enganosa - onde o serviço não foi fornecido - mal funcionamento e alteração de plano sem aviso prévio.

 

A empresária Vanessa Miranda, de 39 anos, conta que enfrentou alguns desses problemas. De acordo com ela, a velocidade de internet contratada não era entregue e a empresa não resolveu a questão. Vanessa disse também que enfrentou problemas ao tentar realizar um procedimento de mudança de titularidade.

 

Ainda segundo a empresária, além de não ter a solicitação atendida, ela teve a TV por assinatura cancelada. “Eles me explicaram que para ser feita essa transferência [de titularidade], eles precisariam cancelar minha TV. Depois, eu deveria entrar em contato para solicitá-la novamente”.

 

Quando Vanessa percebeu que a TV não estava mais funcionando, pensou que o processo de mudança de titularidade havia sido feito. Mas a operadora não realizou o procedimento.

 

A situação piorou quando um técnico foi até a casa dela no momento em que apenas seu filho menor de idade estava no local: “Um técnico veio aqui, entrou, tirou todos os meus aparelhos sem a assinatura de uma pessoa maior de idade”, conta Vanessa.

 

O advogado Igor Britto, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), explica que a quantidade de reclamações no setor de telecomunicações é reflexo do elevado número de clientes dessas companhias. “São vários fatores que fazem essas empresas serem tradicionalmente as mais reclamadas. O primeiro deles, com certeza, é a quantidade de consumidores que cada uma dessas empresas possui”, destaca.

 

Consumidor.gov

O portal Consumidor.gov é um serviço público lançado em junho de 2014 que permite a interlocução direta entre consumidores e empresas, para solução de conflitos de consumo pela internet. O monitoramento é feito pelo Ministério da Justiça através da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), Procons, Defensorias e Ministérios Públicos.

 

Atualmente, a plataforma possui 1,5 milhão de usuários cadastrados, 568 empresas participantes e 2 milhões de reclamações finalizadas.

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

A Carne é Fraca

Vídeos relacionados